[PRORROGAÇÃO!!!] CHAMADA PÚBLICA – Estudos da Tradução & Questões LGBTQI+

ATENÇÃO!!

O PRAZO DE SUBMISSÃO DESTE EDITAL FOI PRORROGADO ATÉ O DIA 30/11.

Esta Chamada Pública tem como objetivo organizar um livro com foco nas questões de tradução atreladas aos interesses e aos questionamentos da comunidade LGBTQI+. Busca-se reflexões sobre a tradução como ativismo e igualmente das práticas tradutórias como bens culturais das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans, intersexuais, assexuadas e de todos os aliados à causa LGBTQI+. 

A relação entre língua-identidade é tão antiga quanto a criação do mundo. De fato, a língua e as variantes linguísticas podem operacionalizar uma marca registrada de determinado grupo social, político ou cultural. Prova disso, são os léxicos próprios à comunidade LGBTQI+ que possuem cada cultura nacional/local/geográfica. Somado a isso, os discursos políticos, históricos, ficcionais e sociais estão cada vez mais em trânsitos – ora como letramento, ora como pedagogia, ora como empoderamento.

A tradução é uma forte aliada às causas LGBTQI+ desde muito tempo – poderíamos mencionar aqui as grandes campanhas internacionais contra a AIDS, mas também os trânsitos das teorias  dos anos pós-90 que desestabilizaram os conceitos de gênero, corpo e sexo biológico. Se nos Estudos de Tradução, percebe-se recentemente a chamada “Virada Ativista” (Actvist Turn), no Brasil, a área ainda não tem um franco desenvolvimento na Academia, apesar dos mercados editorial e audiovisual apresentarem desde bastante tempo produtos traduzidos para a comunidade LGBTQI+, inclusive como princípio de ganho financeiro do chamado Pink Money. Logo, a presente chamada de livro visa sanar esta lacuna na área de Estudos da Tradução nacional.

Busca-se (1) compreender os fluxos globais e nacionais dos conceitos, teorias, ciências e culturas traduzidas para e na comunidade LGBTQI+; (2) saber os limites, extrapolações e contextualizações do transnacionalismo, da interseccionalidade e do Queer na  tradução, adaptação, antropofagia, transmutação, hibridismo e apropriação no Brasil no que concerne às questões LGBTQI+; e (3) esboçar como as políticas de tradução podem contribuir para as culturas e a cidadania das pessoas LGBTQI+ nos diversos âmbitos públicos e privados.

Dentre os temas de capítulos esperados, elencamos alguns caminhos, entre muitos outros possíveis:

  1. Estratégias textuais e paratextuais na tradução para LGBTQI+
  2. A divulgação de tradução por tradutores LGBTQI+
  3. Linguagem inclusiva e tradução
  4. Tradução e ativismo LGBTQI+
  5. Transfeminismo e Tradução
  6. Crítica Queer e Tradução
  7. Artivismo e Tradução
  8. Diásporas Queer e tradução
  9. Legendagem e dublagem para populações LGBTQI+
  10.  Comunidades de tradução LGBTQI+
  11.  Estudos da Interpretação e Questões LGBTQI+
  12. A não-tradução para a comunidade LGBTQI+
  13.  Teorias e práticas da Tradução LGBTQI+
  14. História da Tradução LGBTQI+ no Brasil e no mundo
  15.  Agendas tradutórias LGBTQI+
  16. Traduzir escritores/teóricos LGBTQI+
  17.  Retórica LGBTQI+ em Tradução
  18. Tradução como hospitalidade
  19.  Legado tradutório LGBTQI+
  20. Circuitos de Tradução LGBTQI+
  21. Metáforas para a Tradução LGBTQI+
  22.  Lexicografia e Tradução LGBTQI+
  23. Agência tradutória LGBTQI+
  24. Diferenças entre tradução para e na comunidade LGBTQI+
  25. Importância da tradução não-patriarcal cis-normativa

Normas para apresentação dos manuscritos

Nesta coletânea serão aceitos textos de 4 mil a 7 mil palavras, fonte Times New Roman, 12, espaçamento 1,5, margens de 3 cm. Figuras e ilustrações devem ter pelo menos 300dpi de resolução, e indicação de autoria/fonte. 

Referências:

As referências devem ser padronizadas conforme a ABNT.

Critérios de seleção e prazos

A seleção dos trabalhos adotará como princípio os seguintes critérios de avaliação:

  1. Atenção ao interesse temático das propostas frente à chamada do edital público;
  2. A qualidade argumentativa e a criatividade temática na condução dos textos;
  3. Distribuição regional de autorias a fim de garantir uma ampla representatividade regional conforme as propostas recebidas;

O volume de trabalhos selecionados não será predeterminado, ainda que a editora se reserve ao direito de cancelamento do projeto, caso as propostas encaminhadas não sejam suficientes para compor a obra ou não atendam aos critérios de avaliação.

O envio dos trabalhos completos selecionados para compor a coletânea será comunicado através do e-mail com a aprovação do texto até dia 30/01/2021.

Cronograma

Envio de capítulo completo : 30/11/2020

Envio de parecer: até 30/01/2021

Envio do texto final revisado em formato DOC, DOCX ou RTF: 01/03/2021

Da comissão avaliadora

As propostas encaminhadas serão avaliadas pelos responsáveis pela organização da obra:

Dennys Silva-Reis – professor adjunto na Universidade Federal do Acre (UFAC)

Vinícius Martins Flores – professor adjunto na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Quaisquer dúvidas podem ser encaminhadas para os e-mails publicações@editoradevires.com.br;  livro.traducao.lgbtqi@gmail.com

Autores

Deixe uma resposta